skip to Main Content
libido

Libido é o nome dado ao desejo sexual, algo que faz parte do próprio instinto do ser humano. No entanto, pode acabar sendo influenciado por algumas questões físicas ou até mesmo emocionais. Por isso, dependendo da fase da vida, aumenta ou diminui para algumas pessoas.

Em mulheres, o hormônio que controla a libido é o estrogênio. Por isso, é normal que a mulher tenha maior ou menor interesse sexual, em alguns períodos do mês. Dessa forma, geralmente, a libido pode acabar ficando aumentada durante o seu período fértil ou menor libido durante a menopausa, por exemplo.

Por isso, o Blog da Unicpharma separou as principais causas para a perda de libido em mulheres e algumas dicas de como recuperar o apetite sexual.

O que pode causar a perda da libido?

Vários fatores podem causar a falta de libido, como o estresse, ansiedade, uso de medicamentos ou até mesmo problemas no relacionamento. Dessa maneira, é importante identificar a causa para encontrar as melhores atitudes para aumentar o desejo sexual.

Principais causas

Vários fatores podem ocasionar a falta de libido, como estresse, ansiedade, problemas no relacionamento e uso de medicamentos, sendo importante identificar a causa para que possam ser tomadas atitudes que tenham como objetivo aumentar o desejo sexual. Confira as principais causas:

  • Menopausa: como há um desbalanço nos níveis hormonais sexuais feminino, a diminuição da libido pode acabar acontecendo. Um dos principais sinais da menopausa são as ondas de calor, suor noturno e cansaço frequente;
  • Alterações hormonais: o estresse, depressão e a ansiedade, por exemplo, podem interferir diretamente na disposição ou no humor. Dessa forma, isso pode causar a falta de libido de maneira temporária.
  • Problemas no relacionamento: com os conflitos pode haver um clima de tensão e a atração pode diminuir, provocando a perda do desejo sexual;
  • Uso de medicamentos: pílulas anticoncepcionais, ansiolíticos ou antidepressivos provocam alteração nos níveis hormonais no organismo. Ou seja, podem interferir no sistema nervoso, alterando o desejo sexual;
  • Dor durante a relação sexual: às vezes pode haver dor e/ou desconforto no momento de prazer. Dessa forma, pode acontecer uma diminuição do interesse para que a dor não seja mais sentida.

Outros sintomas podem acabar prejudicando o desejo sexual. Dessa maneira, diabetes, transtornos alimentares, baixa estima, doenças cardíacas, transtornos neurológicos, alcoolismo, endometriose, infecção urinária ou genital, entre outros, podem acabar causando a perda de libido em mulheres.

Como identificar

Os sinais podem ser observados pelo casal durante as tentativas de contato íntimo, analisando se está sendo prazeroso ou não. Dessa maneira, quando uma mulher possui o transtorno da excitação sexual (quando não há a perda de libido), ela perde o interesse na relação sexual, além de ter diminuição da lubrificação da vagina e não conseguir aproveitar a relação. Isso, inclusive, pode interferir na qualidade de vida e autoestima da mulher.

No entanto, mesmo que com todos os esforços possíveis a mulher continue apesentando dificuldades em se excitar, é importante ir em um ginecologista. Ele conseguirá encontrar a causa.

Como aumentar a libido

Assim como dito anteriormente, para aumentar a libido é importante consultar um médico para identificar as causas e iniciar o tratamento mais adequado. Quando o caso em que a falta de libido acaba sendo causada pelo uso de algum medicamento, o profissional pode orientar uma troca, alteração de dose ou até mesmo suspensão do remédio. Enquanto isso, quando estiver relacionado a alterações hormonais, pode-se recomendar uma terapia de reposição hormonal.

Por outro lado, quando a causa da falta de libido se trata de consequências de alterações emocionais, problemas no relacionamento ou até mesmo traumas, a melhor solução é a consulta com um psicanalista. Dessa forma, a terapia é ótima para que as causas emocionais consigam ser solucionadas. Combater a ansiedade e o estresse também ajuda a aumentar a libido. Apostar em exercícios físicos pode acabar sendo ótimo.

Afinal, como melhorar a excitação da mulher?

Quando o caso fica relacionado a fatores emocionais, tratar isso em uma psicoterapia, pode ajudar a identificar a razão pela qual não consegue ficar excitada. Dessa forma, tende a combater a causa, melhorando a autoestima e até mesmo a qualidade vida. Em alguns casos, a terapia sexual também pode acabar sendo indicada, pois pode ajudar o casal a descobrir-se melhor.

Além disso, existem outras opções para promover e melhorar a excitação em mulheres. São eles:

Alimentação

Alguns alimentos são considerados afrodisíacos, pois possuem nutrientes que contam com propriedades estimulantes. Dessa maneira, aumentam a produção dos hormônios sexuais e da libido. Dessa maneira, o gengibre, a pimenta e o ginseng podem estimular a excitação, além de apimentar a relação.

Uso de lubrificantes

O uso de lubrificantes íntimos à base de água também podem ajudar a aumentar a libido em mulheres. Afinal, acaba mantendo a região úmida e escorregadia, facilitando a penetração e o prazer. Deve-se aplicar antes e durante a relação.

Exercícios de Kegel

Os exercícios de Kegel também são ótimos indicados para se recuperar o desejo sexual. Esta atividade fortalece os músculos pélvicos e também pode ajudar a mulher a sentir mais prazer durante o contato íntimo. Isso acontece pois aumentam a circulação sanguínea na região, sendo algo recomendado para dar um fim à perda de libido.

Remédios

Hoje em dia, existem remédios orais e de aplicação genital que podem ser úteis. No entanto, só deve-se utilizar sob a indicação médica. Afinal, com a ajuda de um profissional, como um ginecologista, pode analisar qual a real causa para levar a falta de desejo sexual. Dessa maneira, pode-se indicar alguns medicamentos para quando o caso for menopausa e outros para aumentar o desejo sexual.

Enquanto isso, quando a causa do transtorno é alguma doença ou até mesmo uma infecção, a realização do tratamento para essas situações é suficiente para que a mulher volte a ficar excitada e com vontade de contato íntimo.

Além disso, alimentos, como a pimenta, açafrão e gengibre, favorecem a produção hormonal e melhoram a circulação sanguínea, favorecendo o contato íntimo. Uma outra possibilidade acaba sendo chás e suplementos, que também contam com propriedades para apimentar a relação. Dependendo do caso, estes devem ser consumidos de forma diária e, se possível, em todas as refeições para que encontrem o efeito esperado.

Dra. Angela A. Benicio de Lima

Farmacêutica, Bioquímica e Nutricionista

  • Graduanda em farmácia estética
  • Pós graduação em farmácia clínica e atenção Farmacêutica
  • Pós graduação em fitoterapia clínica
  • Formada em nutrição
  • Atua como farmacêutica há mais de 10 anos no mercado
    magistral, Com Inscrição no Conselho Regional de Farmácia N.46216

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.