skip to Main Content
virose

Você vem se sentindo fraco, com dor de cabeça, nariz entupido e até mesmo um pouco de febre? Está com diarreia e náusea? Estes pode ser os sintomas de uma virose. Esse problema é tão comum e pode incomodar muitas pessoas. Por isso, é super importante saber mais e entender como reagir e prevenir esse problema, principalmente cuidando de sua imunidade.

Por isso, o Blog da UnicPharma separou tudo sobre esse problema!

O que é virose?

Todas as infecções provocadas por vírus podem ser chamadas de viroses. Dessa maneira, podem ser uma gripe (causada pelo influenza), HIV, HPV, herpes, dengue, zika e chikungunya. Assim, todas essas doenças podem ser transmitidas por meio de gotículas lançadas ao ar, pela saliva, fezes, contato com fluido sexual ou até mesmo por picada de insetos.

Porém, de forma geral, o termo “virose” é utilizado para designar um conjunto de infecções agudas no trato respiratório ou gastrointestinal que são muito frequentes e se resolvem sozinhas após alguns dias, apenas com alguns cuidados gerais e para as quais não se costuma identificar um vírus específico. Assim, se você tiver uma doença viral mais séria dificilmente vai ouvir essa designação genérica.

Sintomas

As manifestações mais comuns das viroses que afetam o sistema respiratório são:

  • Febre de intensidade variável;
  • Mal-estar;
  • Nariz escorrendo ou congestionado (coriza);
  • Dores no corpo ou na cabeça;
  • Tosse ou irritação na garganta;
  • Perda de apetite;
  • Alguns desses vírus também podem estar envolvidos no desenvolvimento de sinusite, amidalite, faringite, laringite ou otite.

Enquanto isso, as viroses gastrointestinais podem causar:

  • Febre (nem sempre presente);
  • Enjoo;
  • Vômito;
  • Diarreia;
  • Dor de barriga;
  • Perda de apetite;

Quando tempo dura uma virose?

Em geral, as viroses respiratórias e gastrointestinais duram de três a dez dias. Caso o tempo ultrapasse desse período, é importante consultar um médico, a fim de encontrar a causa dessa virose.

Como cuidar da virose?

A virose pode ser facilmente tratada em casa, no entanto caso os sintomas piorem, a pessoa apresente febre acima de 38,5ºC por mais de três dias, não consiga se alimentar direito, apresente sangue nas fezes ou tenha vômitos frequentes, é importante que o médico seja consultado para que seja iniciado o tratamento para combater a virose de forma mais eficaz.

Durante uma virose é importante ficar em repouso, evitando fazer esforços, para ajudar o corpo recuperar as energias e favorecer a eliminação do vírus. Além disso, ao permanecer em casa e em repouso, há diminuição do risco de transmissão do vírus para outras pessoas.

É importante também lavar regularmente as mãos, isso porque as mãos correspondem a uma das principais formas de transmissão de doenças. Assim, ao lavar as mãos, é possível prevenir a transmissão para outras pessoas. É recomendado lavar as mãos após espirrar e tossir e após usar o banheiro.

Como prevenir?

Para prevenir a desidratação provocada pela diarreia, vômitos e febre é necessário ingerir por dia pelo menos 2 litros de água ou soro caseiro, bebendo em pequenos goles. Além disso, os chás, principalmente o de gengibre e o de pêssego sem açúcar, ajudam a combater mais facilmente os enjoos e hidratam o organismo.

As refeições devem ser leves e de fácil digestão para evitar as náuseas, vômitos e diarreia, devendo-se optar por alimentos cozidos e grelhados, dando preferência a caldos, frutas, como maçã cozida e banana, legumes, como cenoura ou abobrinha cozida ou carnes brancas como frango.

Durante a virose é recomendado não consumir frutas e verduras cruas e alimentos picantes, doces ou gordurosos, já que podem piorar os sintomas e atrasar a recuperação. Além disso, pode necessário o uso de remédios para parar mais rapidamente os sintomas da virose. No entanto, só deve ser recomendado pelo médico de acordo com os sintomas, sendo as principais indicações analgésicos e antitérmicos, para diminuir dor de cabeça, corpo e febre.

Cuide da sua imunidade!

Além de manter um estilo de vida saudável, ter alimentações balanceadas fazem com que o sistema natural de defesa do corpo a ficar forte. Não fumar, dormir bem, evitar estresse e consumir bebidas alcoólicas com moderação também com que a imunidade fique melhor. Contudo, existem remédios caseiros para ficar ainda melhor. Confira:

Como aumentá-la?

A alimentação é extremamente importante para o bom funcionamento do sistema imune. Assim, os alimentos ricos em vitaminas A, C e E são os mais indicados para aumentar o sistema imune. Além disso, os com ômega-3, selênio, zinco e probióticos também são importantes para o sistema de defesa do corpo.

No ômega-3, aposte em sardinha, salmão, atum, sementes de chia e nozes – que são ricos e ajudam. Enquanto isso, castanha do pará, trigo, arroz, frango e queijo são ricos em selênio, que fortalecem a imunidade. Em relação ao zinco, aposte em camarão, carne de vaca, frango, peru, peixe e fígado.

Frutas ricas em vitaminas A, C e E também são muito importantes. As vitaminas A são encontradas na cenoura, babata doce, manga, espinafre, melão, acelga, pimentão vermelho, brócolis, alface e ovo. Já vitamina C está presente em laranja, tangerina, abacaxi, limão, morango, melão, mamão, manga, kiwi, brócolis, tomate, melancia e batata com casca. Por fim, vitamina E encontra-se nas sementes de girassol, avelã, amendoim, amêndoas, pistache, manga, azeite de oliva, molho de tomate, azeite de girassol, nozes e mamão.

Outras opções são medicamentos, que podem ser encontrados em locais mais variados. O extrato de própolis é um dos mais populares para quem quer fortalecer a imunidade. O mesmo estimula as células do sistema imune, sendo usado em inflamações e em doenças, como a sinusite e no trato respiratório. Além disso, colostro bovino, semente de astrágalo e equinácea também são eficazes para combater doenças e aceleração a recuperação.

Dra. Angela A. Benicio de Lima

Farmacêutica, Bioquímica e Nutricionista

  • Graduanda em farmácia estética
  • Pós graduação em farmácia clínica e atenção Farmacêutica
  • Pós graduação em fitoterapia clínica
  • Formada em nutrição
  • Atua como farmacêutica há mais de 10 anos no mercado
    magistral, Com Inscrição no Conselho Regional de Farmácia N.46216

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.