skip to Main Content
IST

Antigamente conhecidas como Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são causadas por vírus, bactérias ou microrganismos. São transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual (oral, vaginal ou anal) sem o uso de camisinha (masculina ou feminina) com uma pessoa infectada.

Vale destacar que se faz sempre muito importante alertar o/a parceiro/a sempre que diagnosticado com uma IST. Além disso, o tratamento das pessoas melhora a qualidade de vida e interrompe a transmissão das infecções. Todo o atendimento, diagnóstico e tratamento são gratuitos nos serviços de saúde do SUS.

Confira tudo sobre no Blog da UnicPharma.

Quais são as principais IST?

De acordo com o Ministério da Saúde, existem diversos tipos de IST. Assim, estes são os mais conhecidos:

Quais são os sintomas?

Segundo dados do Ministério da Saúde, as IST podem se manifestar de diferentes formas. Ou seja, através de corrimentos, verrugas, feridas, entre outros sintomas, como dor, ardência ao urinar e lesões na pele. Geralmente, aparecem no órgão genital, mas também podem surgir em outras partes do corpo, como olhos, língua e até palma das mãos.

O corpo deve ser observado durante a higiene pessoal. Dessa forma, pode ajudar a identificar uma IST no estágio inicial. Sendo assim, sempre que se perceber algum sinal ou sintoma, deve-se procurar um profissional da saúde, independentemente de quando for a última relação sexual.

Além disso, algumas IST também podem não apresentar sinais ou sintomas. No entanto, se não forem diagnosticadas e tratadas, podem levar a graves complicações, como câncer, infertilidade ou até mesmo a morte. Dessa forma, é sempre importante fazer exames e consultar um profissional da saúde caso tenha tido relações com alguém que tenha IST.

Quais são as principais características das IST?

Cada IST apresenta sinais, características e sintomas diferentes. Dessa forma, as três principais manifestações clínicas, como corrimento, feridas e verrugas anogenitais.

De acordo com o Ministério da Saúde, estas são as principais características de cada uma das IST:

Corrimentos

  • Aparecem no ânus, pênis ou vagina;
  • Podem ter cheiro forte e/ou causar coceira;
  • Provocam dor ao urinar ou durante a relação sexual;
  • Podem ser esbranquiçados, amarelados ou esverdeados, dependendo da IST;
  • Podem se manifestar na gonorreia, clamídia e ttricomoníase;
  • Em mulheres, quando é pouco, o corrimento só pode ser visto em exames ginecológicos.

Vale destacar que o corrimento vaginal é um sintoma muito comum. Ou seja, existem várias causas que não são consideradas IST. Dessa maneira, pode ser a vaginose bacteriana ou a candidíase vaginal.

Feridas

  • Aparecem nos órgãos genitais ou em qualquer parte do corpo;
  • Podem conter dor ou não;
  • Os tipos de feridas podem acabar sendo muito variados;
  • Podem se apresentar como úlceras, manchas, vesículas, entre outros;
  • Podem ser manifestações da sífilis, herpes genital, cancroide (cancro mole), linfogranuloma venéreo e donovanose.

Verrugas anogenitais

  • São causadas pelo Papilomavírus Humano (HPV);
  • Podem aparecer em forma de couve-flor, quando a infecção está em estágio avançado;
  • Não doem, no geral;
  • Pode causar irritação ou coceira.

Outras características

HIV/aids e Hepatites virais B e C

  • Além das IST que causam corrimentos, feridas e verrugas anogenitais, existem outras infeções, que são causadas pelo HIV, HTLV e pelas hepatites virais B e C. São causadas por vírus, com sinais e sintomas específicos.

Doenças Inflamatória Pélvica (DIP)

  • É conhecida como uma outra forma de manifestação clínica das IST;
  • Acontece em decorrência de gonorreia e clamídia não tratadas;
  • Atinge os órgãos genitais da mulher (útero, trompas e ovários), causando inflamações.

Transmissão

Além do contato sexual desprotegido, a transmissão de uma IST pode acontecer da mãe para a criança durante a gestação, parto ou amamentação. Além disso, sendo menos comum, as IST também podem acabar sendo transmitidas por meio não sexual, através do contato de mucosas ou pele não íntegra com secreções corporais contaminadas.

Como é feito o diagnóstico?

Caracterizada por infecções causadas por mais de 30 agentes etiológicos diferentes, geralmente pode acabar sendo transmitido por contato sexual – mas existem outros casos citados anteriormente. Além disso, as IST acontecem com alta frequência na população e contam com apresentações clínicas.

Dessa forma, a identificação das diferentes vulnerabilidades e o exame físico são através de elementos essenciais. Assim sendo, durante o exame físico, geralmente acontece com coleta de material biológico, a fim de realizar testes laboratoriais ou rápidos. Estes exames/testes devem sempre se usar para auxiliar na definição do diagnóstico. Além disso, também deve-se realizar exames para a triagem de clamídia, HPV, sífilis, HIV, gonorreia e hepatites B e C.

Hoje em dia, os serviços de saúde do SUS realizam testes rápidos para HIV, sífilis e hepatites B e C. Esse atendimento tem a finalidade de dar um fim à cadeia de transmissão e à prevenção de outras IST e complicações decorrentes dessas infecções.

Como prevenir as IST?

Assim como dito anteriormente, o uso da camisinha, tanto masculina, quanto feminina, é extremamente importante em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais). Dessa maneira, esse se faz como o melhor método para evitar a transmissão das IST, do HIV/Aids e das hepatites virais B e C. Segundo o Ministério da Saúde, a camisinha masculina ou feminina ficam disponíveis, de forma gratuita, nas unidades de saúde.

Além disso, também serve para evitar a gravidez. No entanto, vale destacar que existem vários outros métodos para evitar a gravidez. No entanto, até agora, o único método para prevenção das IST é a camisinha. Para realizar uma dupla proteção, se recomenda o uso da camisinha (feminina ou masculina) e outro método anticonceptivo de escolha própria.

Dessa maneira, quem tem relação sexual desprotegida pode contrair uma Infecção Sexualmente Transmissível – independente de idade, gênero, orientação sexual, entre outros. Ou seja, uma pessoa pode estar saudável (aparentemente), mas estar infectada por uma IST. A prevenção, então, abrange o uso de camisinha, ações de prevenção, diagnóstico e tratamento das IST, além dos testes para HIV, sífilis e hepatites virais B e C.

Dra. Angela A. Benicio de Lima

Farmacêutica, Bioquímica e Nutricionista

  • Graduanda em farmácia estética
  • Pós graduação em farmácia clínica e atenção Farmacêutica
  • Pós graduação em fitoterapia clínica
  • Formada em nutrição
  • Atua como farmacêutica há mais de 10 anos no mercado
    magistral, Com Inscrição no Conselho Regional de Farmácia N.46216

This Post Has One Comment

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.