Aprenda a se proteger das doenças relacionadas ao sexo - Blog Unicpharma
IStock 485119264

Aprenda a se proteger das doenças relacionadas ao sexo

Doenças relacionadas ao sexo são infecções causadas por vírus, bactérias ou outros microrganismos. Elas são transmitidas, principalmente, por meio do contato sexual oral, vaginal ou anal com alguém que esteja infectado. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a cada dia, um milhão de pessoas no mundo são infectadas pelas doenças relacionadas ao sexo.

Conheça as doenças relacionadas ao sexo

Existem diversos tipos de doenças relacionadas ao sexo. As mais comuns, de acordo com o Ministério da Saúde, são herpes genital, sífilis, gonorreia, hepatites virais B e C, infecções pelo HIV e pelo HPV.

Os sintomas dessas doenças variam. Sinais como feridas, corrimentos e verrugas aparecem, principalmente, no órgão genital ou ânus. Mas também podem surgir na palma das mãos, olhos e língua.

A recomendação dos especialistas é que você observe seu corpo e, percebendo que algo não está bem, procure um médico o quanto antes. O diagnóstico precoce faz toda a diferença nesses casos. Lembrando que algumas infecções são silenciosas e, se não forem diagnosticadas e tratadas, podem levar a graves complicações ou até morte.

Nem sempre tem tratamento!

De acordo com o Ministério da Saúde, algumas doenças relacionadas ao sexo são de fácil tratamento e rápida resolução. Outras, no entanto, têm tratamento mais difícil ou podem persistir ativas mesmo não trazendo sintomas. A infecção pelo vírus HIV, por exemplo, é para a vida toda.

As mulheres, em especial, devem ser bastante cuidadosas com as doenças relacionadas ao sexo, já que, em diversos casos, não é fácil distinguir os sintomas de reações normais do corpo feminino. Por isso, as consultas de rotina com o ginecologista são tão importantes.

E atenção: se você recebeu o diagnóstico e estiver em tratamento para qualquer uma das doenças relacionadas ao sexo, deve avisar as pessoas com quem se relacionou. Isso evita a disseminação do problema.

Prevenir é sempre a melhor opção

O uso da camisinha (masculina ou feminina) em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais) é o método mais eficaz para evitar tanto a contaminação quanto a transmissão de doenças relacionadas ao sexo.

De acordo com o Ministério da Saúde, existe, ainda, a prevenção combinada que, além do uso de camisinha, abrange medidas como:

  •       Ações de prevenção, diagnóstico e tratamento de infecções;
  •       Testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C;
  •       Profilaxia pós-exposição ao HIV;
  •       Imunização para HPV e hepatite B;
  •       Tratamento antirretroviral para todas as infecções por vírus.

E não se esqueça: qualquer um que tem relação sexual desprotegida está correndo o risco de ter doenças relacionadas ao sexo. Não importa idade, estado civil, classe social, identidade de gênero, orientação sexual, credo ou religião. Mesmo aparentemente saudável, a pessoa pode estar infectada. Então, proteja-se sempre!

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *