skip to Main Content
serotonina

Conhecida como o “hormônio da felicidade”, a serotonina está, geralmente, ligada com a sensação de bem-estar e alegria. Dessa maneira, se trata de algo muito importante para os seres humanos.

Por isso, o Blog da UnicPharma separa tudo sobre esse hormônio, como aumentá-lo e para que serve.

O que é a serotonina?

A serotonina, popularmente conhecida como “o hormônio da felicidade”, é um neurotransmissor liberado entre os neurônios e está associada principalmente à sensação de bem-estar. Ela é sintetizada a partir de alguns aminoácidos, como o triptofano, que pode ser encontrado em alguns alimentos, como peixes e alguns grãos.

A síntese da serotonina ocorre na fenda sináptica, quando ocorre a sinapse entre os neurônios no cérebro. Vale lembrar que a liberação da serotonina não ocorre necessariamente quando há um estímulo de felicidade, ou seja, essa síntese é constante.

Para que serve a serotonina?

O papel da serotonina está relacionado principalmente ao sistema de recompensa cerebral, ou seja, às sensações de bem-estar. Além disso, entre as outras funções do neurotransmissor estão:

  • Sensação de prazer;
  • Regulação do humor;
  • Regulação do sono;
  • Regulação do apetite;
  • Desejo sexual;
  • Regulação do ritmo cardíaco e das funções cognitivas.

Segundo estudos, a serotonina também atua na regulação das vias sensoriais do corpo, como a via dolorosa. Dessa forma, ela pode ser utilizada para o tratamento de condições como a enxaqueca, prevenindo o surgimento das dores de cabeça. Quando a produção dessa substância está em um nível considerado baixo, é possível que o indivíduo apresente complicações como depressão, distúrbios de humor, TPM e insônia. Por isso, manter um grau adequado de serotonina é essencial para o bem-estar humano.

A boa notícia é que, em quadros onde o paciente não apresenta uma condição que necessite de medicamentos prescritos por um médico, o hormônio pode ser amplificado naturalmente.

Sinais de serotonina baixa

De acordo com estudos, ainda pouco se sabe sobre como ocorre a deficiência de serotonina, se realmente há baixa produção de serotonina ou se o paciente não consegue aproveitar a serotonina de forma adequada na fenda sináptica. No entanto, quando ocorre essa deficiência, é comum que o paciente apresente sintomas de depressão e ansiedade. Por isso, quando os níveis de serotonina estão baixos, é possível observar alguns sinais, como:

  • Fadiga;
  • Mau humor;
  • Insônia;
  • Estresse;
  • Dor de cabeça;
  • Baixa libido;
  • Falta de motivação.

O tratamento é aumentar a disponibilidade de serotonina, mas isso ainda é muito controverso. O que a gente sabe é que, quando existe uma dificuldade do funcionamento dessa serotonina no cérebro, independente se ela tá normal ou baixa, esse paciente tende a ter mais ansiedade e mais transtornos depressivos.

Como aumentar a serotonina?

Segundo especialistas, a principal maneira de elevar os níveis de serotonina é através da alimentação saudável e rica em triptofano, o aminoácido que sintetiza a serotonina. Geralmente, o triptofano pode ser encontrado em frutas, como a banana, e em algumas carnes, como as carnes de aves e peixes.

Outros alimentos que também podem ajudar na produção de serotonina são:

  • Abacate;
  • Ovo
  • Mel;
  • Nozes;
  • Tofu;
  • Canela;
  • Chocolate amargo.

Além da alimentação, a liberação de serotonina também pode ser estimulada através da prática de atividades físicas, da exposição à luz solar e de outras atividades relaxantes. Pessoas que praticam atividade física têm uma melhora nesses quadros depressivos, elas podem melhorar em torno de 10% a 20%. E a depressão está muito relacionada com o estilo de vida, com o humor e com o afeto.

Luz solar

O recomendado é que se tome de 15 a 20 minutos de sol por dia, com braços e pernas expostos, sem a aplicação de filtro solar. Assim, para evitar os malefícios dos raios UVA, o indicado é que a exposição solar ocorra antes das 10h e depois das 16h.

Atividades físicas

Assim, de acordo com um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Saúde e Excelência Clínica do Reino Unido, a prática de exercícios físicos é capaz de promover efeitos antidepressivos e ansiolíticos no cérebro.

Apesar desse resultado ser encontrado em diferentes tipos de atividades, a pesquisa revelou que os exercícios aeróbicos se demonstraram os mais eficazes na produção de serotonina. Dessa maneira, segundo os cientistas, o aumento dos batimentos cardíacos durante a prática pode elevar os níveis do hormônio no cérebro, o que ao ser associado com a produção de endorfina, ajuda na melhora do humor.

Pensamentos positivos

Um estudo canadense revelou que alterações no pensamento, sejam de forma auto-induzida ou através de métodos como a psicoterapia, podem provocar o aumento da serotonina. Assim, ao utilizarem uma técnica envolvendo tomografia por emissão de pósitrons, os pesquisadores analisaram os níveis do hormônio no cérebro de pacientes submetidos a indução de humor positivo.

Os resultados revelaram que os níveis relatados de felicidade foram correlacionados positivamente com a produção de serotonina, enquanto os sentimentos negativos demonstraram uma queda do hormônio na região do córtex anterior direito.

Atividades relaxantes

O estresse é um dos responsáveis pela produção do hormônio cortisol. Quando não regulado, essa substância pode provocar complicações como perda de massa muscular, aumento da pressão arterial e o bloqueio da produção de serotonina.

Dessa forma, reduzir os níveis de estresse possui um efeito positivo na quantidade do hormônio da felicidade produzido pelo organismo. Atividades como a meditação, por exemplo, podem ser uma alternativa para manter a calma e diminuir o ritmo acelerado do dia a dia.

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.