skip to Main Content
doença do sono

Já ouviu falar na doença do sono? Transmitida por dois parasitas, ela pode ser bem desconfortável, além de demorar vários meses para ser diagnóstica. Os sintomas dependem muito de pessoa, mas esse problema pode, inclusive, causar problemas no equilíbrio do corpo.

Dessa maneira, o Blog da UnicPharma separou tudo para você sobre essa doença. Acompanhe!

O que é a doença do sono?

A doença do sono é causada por dois parasitas: o Trypanosoma brucei gambiense e Trypanosoma brucei rhodesiense. Estes podem acabar sendo transmitidos pela picada da mosca de tsé-tsé, mais frequentemente encontrada em países africanos.

Os sintomas da doença do sono, também chamada de tripanossomíase africana humana, costumam aparecer algumas semanas após a picada. No entanto, também podem demorar vários meses para surgir. Assim, isso depende muito de qual seria a espécie da mosca e da resposta do corpo da pessoa ao microrganismo, por exemplo.

Assim, presença de sinais e sintomas da doença do sono, é importante que o clínico geral seja consultado para que sejam feitos exames que ajudem a confirmar o diagnóstico. A partir disso, pode-se indicar o tratamento mais adequado, além de aliviar os sintomas e prevenir complicações futuras.

Sintomas da doença do sono

Os sintomas da doença do sono variam de uma pessoa para outra e dependem da fase em que a doença se encontra.

Estágio cutâneo

Nesta fase, pode-se observar pápulas vermelhas na pele. Dessa forma, estas pioram e se torna uma úlcera dolorida, de cor mais escura e inchada, chamada de cancro. Este sintoma surge aproximadamente após 2 semanas da picada da mosca tsé tsé. Assim, acaba sendo mais comum que aconteça em pessoas brancas e raramente é vista em pessoas da cor negra.

Estágio hemolinfática

Depois de um mês da picada do inseto, o microrganismo atinge o sistema linfático e o sangue. Assim sendo, leva ao surgimento de ínguas no pescoço, dor de cabeça, febre e manchas vermelhas espalhadas por todo o corpo;

Estágio meningo-encefalítico

Esta acaba sendo a fase mais avançada da doença do sono e sonolência, na qual o protozoário atinge o sistema nervoso central. Dessa forma, provoca danos cerebrais. Estes acabam sendo observados pelo aparecimento da confusão mental, sono excessivo, alterações de comportamento e problemas de equilíbrio do corpo.

Além disso, a doença do sono pode provocar outras alterações no corpo, como distúrbios no coração, nos ossos e fígado. Além disso, também pode aumentar o risco da pessoa desenvolver outros tipos de infecção, como pneumonia e malária, por exemplo.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença do sono é feito por meio da realização de exames de sangue. Estes conseguem verificar a presença de anticorpos na corrente sanguínea produzidos contra o parasita responsável pela doença. Além disso, pode acabar sendo indicada a realização de hemograma para verificar se existem alterações indicativas de infecção. Nesse caso, verifica-se a presença de alterações indicativas de anemia e monocitose.

Em alguns casos, principalmente nos casos em que a pessoa já apresenta sintomas do estágio meningo-encefalítico, o médico pode recomendar a coleta de medula óssea. Assim, acontece por meio da punção lombar, a fim de que seja verificado se há sinais do parasita no local, assim como para fazer a contagem das células de defesa no líquor – o líquido que circula no sistema nervoso.

Como a doença do sono é transmitida

A forma de transmissão mais comum da doença do sono é por meio da picada da mosca de tsé-tsé, da família Glossinidae. Em casos mais raros, a infecção também pode surgir devido à picada de outro tipo de moscas ou mosquitos, que tenham picado anteriormente uma pessoa contaminada com o protozoário, por exemplo.

A mosca tsé tsé acaba sendo encontrada mais frequentemente em áreas rurais da África. Além disso, está em lugares onde se encontra vegetação abundante, calor e alta umidade. Depois de infectada, esta mosca carrega o parasita para o resto da vida. Ou seja, consegue contaminar várias pessoas.

Como evitar

Para evitar a doença do sono, é importante tomar algumas medidas para prevenir a picada da mosca tsé tsé. Dessa maneira, recomenda-se utilizar roupa de manga comprida, preferencialmente de cor neutra – afinal, esta mosca acaba sendo atraída por cores brilhantes. Além disso, evite estar perto de mato, pois a mosca pode habitar em pequenos arbustos. Aposte no uso de repelente de insetos, especialmente para afastar outros tipos de moscas e mosquitos que podem transmitir a doença.

O tratamento

O tratamento varia de acordo com a idade da pessoa. Além disso, depende do grau de evolução da doença. Dessa forma, se a doença do sono for tratada antes de afetar o sistema nervoso central os medicamentos utilizados são menos agressivos. Entretanto, se a doença está mais avançada, é necessário usar medicamentos mais fortes e com mais efeitos colaterais. Estes, geralmente, devem ser administrados no hospital.

Este tratamento deve ser mantido até que o parasita seja completamente eliminado do organismo. Assim, por isso, deve-se repetir os exames de sangue e outros fluídos corporais para garantir que o parasita foi completamente eliminado. Ainda, depois disso, é necessário manter uma vigilância de 24 meses, observando os sintomas e fazendo exames regulares, para garantir que a doença não volte a surgir.

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.