Saiba Os Benefícios Do Própolis Na Prevenção Da Pneumonia

Antes de mais nada, neste dia 12 de novembro, é o Dia Mundial da Pneumonia. A saber, a data foi proposta pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 2009. Assim, tem como objetivo a conscientização das pessoas sobre a importância da prevenção da doença, que continua sendo a principal causa de morte de crianças com até cinco anos de idade. Além disso, o Própolis pode ser um aliado na prevenção da Pneumonia.

Primeiramente, mais de 2000 crianças morrem diariamente por pneumonia no mundo. As mais vulneráveis ​​vivem em comunidades rurais e pobres. As mais de 880 mil mortes de crianças ocorridas em 2017, sublinham a necessidade de melhorar o acesso equitativo a cuidados, diagnósticos e tratamentos de qualidade.

Saiba os benefícios do Própolis na prevenção da pneumonia

Antes de tudo, o Própolis é bem conhecido devido aos benefícios ao nosso organismo, onde podemos citar o reforço do sistema imune, visto que é um antiviral natural, antibiótico, antifúngico e possui propriedades anti-inflamatórias. Bem como pode destacar que possui alto teor de compostos fenólicos, o que o torna um antioxidante, defendendo o corpo dos danos causados pelos radicais livres.

BENEFÍCIOS DO PRÓPOLIS

  • Fortalece o sistema imunológico (indicação principal);
  • Trata infecções e inflamações;
  • Previne gripes e resfriados;
  • Possui ação anti-inflamatória, bactericida, fungicida, hepatoprotetora;
  • Previne e trata pneumonia e bronquite;
  • Cuida do diabetes, hipertensão e reumatismo.

Portanto, o Própolis é excelente para fortalecer o sistema imunológico, promover ação anti-inflamatória e combater a proliferação de microrganismos, o que ajuda na prevenção de doenças como a gripe e resfriado.

DIA MUNDIAL DA PNEUMONIA

Trabalhar ativamente para prevenir e tratar a pneumonia apoia o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável. Decerto, garantir uma vida saudável e promover o bem-estar para todos em todas as idades faz com que mortes evitáveis ​​de recém-nascidos e crianças menores de cinco anos sejam prevenidas até 2030 – objetivos que não poderão ser alcançados sem esforço e recursos contínuos para combater a doença.

Pneumonia no Brasil

No Brasil, embora a taxa de mortalidade da pneumonia esteja em queda (redução de 25,5% entre 1990 e 2015), a quantidade de internações e o alto custo do tratamento ainda são desafios para a saúde pública e o povo como um todo. Assim, entre janeiro e agosto de 2018, 417.924 pacientes foram parar no hospital por causa dessa doença.

Em suma, os gastos totais de mais de R$ 378 milhões com serviços hospitalares. A pneumonia é uma doença inflamatória aguda que acomete os pulmões e pode ser provocada por bactérias, vírus, fungos ou pela inalação de produtos tóxicos.

Sintomas da pneumonia

As principais manifestações clínicas são tosse com produção de expectoração; dor torácica, que piora com os movimentos respiratórios; mal-estar geral; falta de ar e febre.

Transmissão da pneumonia

A doença pode ser adquirida pelo ar, saliva, secreções, transfusão de sangue ou, na época do inverno, devido a mudanças bruscas de temperatura. Essas mudanças afetam o funcionamento dos pelos do nariz, responsáveis pela filtragem do ar aspirado, o que acarreta uma maior exposição aos micro-organismos causadores da doença.

Diagnóstico e tratamento da pneumonia

Exame clínico, auscultação dos pulmões e radiografias de tórax são recursos essenciais para o diagnóstico da doença. O tratamento depende do micro-organismo causador da doença. Nas pneumonias bacterianas, devem-se usar antibióticos.

Na maior parte das vezes, quando causada por vírus, o tratamento inclui apenas medicamentos para aliviar os sintomas, como febre e dor, podendo ser necessários medicamentos antivirais nas formas graves da doença. Nas pneumonias causadas por fungos, utilizam-se medicamentos específicos. É muito importante saber que, se não tratada, a pneumonia pode evoluir para um quadro mais grave, causando até a morte.

Fatores de risco

  • Fumo: provoca reação inflamatória que facilita a penetração de agentes infecciosos;
  • Álcool: interfere no sistema imunológico e na capacidade de defesa do aparelho respiratório;
  • Ar-condicionado: deixa o ar muito seco, facilitando a infecção por vírus e bactérias;
  • Resfriados mal cuidados;
  • Mudanças bruscas de temperatura.

Prevenção da pneumonia

As principais formas de prevenir a doença são recomendações simples: lavar as mãos, não fumar, não usar bebidas alcoólicas, evitar aglomerações e se vacinar. Além da vacina da gripe há, ainda, a vacina anti-pneumocócica para prevenir as pneumonias causadas pela bactéria ‘pneumococo’. Em caso de contágio, a imunização diminui a intensidade dos sintomas, além de evitar as formas graves da doença e a mortalidade para esse tipo específico de pneumonia.

Algumas das populações prioritárias para receber a vacina são: adultos com idade igual ou superior a 60 anos, portadores de doenças crônicas, indivíduos com deficiências no sistema imunológico, gestantes, residentes em lares de idosos, profissionais da saúde, cuidadores de crianças, indígenas, população carcerária, tabagistas e pessoas com asma.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *