Prancha: os principais erros de execução - Blog Unicpharma
Prancha Os Principais Erros De Execução

A prancha é um dos melhores exercícios do mundo fitness para emagrecer, alinhar seu corpo e diversos outros benefícios. Mas, executá-lo de forma errada faz com que ele perca a eficiência. Dessa forma, confira os principais erros para não comete-los.

Colapsando a parte inferior das costas

Em vez de comprometer a parte inferior das costas mergulhando a bunda, envolva o núcleo imaginando o umbigo puxando em direção à coluna. Isso ajudará a manter o tronco reto e, por sua vez, a coluna segura.

Se você quiser ser super técnico, peça a um amigo que coloque delicadamente um cabo de vassoura ou uma régua em suas costas. O topo do bastão deve ficar em contato com a sua cabeça e a parte inferior deve ficar entre as nádegas. Ademais, ele também deve fazer contato direto entre as omoplatas para um alinhamento adequado.

Levantando demais a bunda na hora da prancha

As pranchas não devem se parecer com o Cão Descendente”. Para realmente fazer seu core trabalhar da maneira que deveria na posição de prancha, mantenha suas costas retas o suficiente para que seus abdominais se sintam engajados de cima (logo abaixo do esterno) para baixo (diretamente abaixo do cinto). Só não afunde muito o bumbum no chão.

Deixando sua cabeça cair

Embora o foco possa ser manter os quadris, nádegas e costas na posição adequada, a forma não se trata apenas do núcleo e da parte inferior do corpo neste movimento.

É importante pensar na cabeça e no pescoço como uma extensão das costas. Mantenha os olhos no chão, deixando-os repousar cerca de 30 centímetros à frente das mãos, o que ajudará a manter o pescoço em uma posição neutra.

Esquecendo de respirar

É da natureza humana prender a respiração quando você está em uma posição extenuante. Mas negar a si mesmo o oxigênio pode causar tonturas e náuseas, que são desagradáveis ​​na melhor das hipóteses e perigosas na pior.

Focando muito no cronômetro e menos na prancha

A qualidade supera a quantidade de segundos passando. Quando sua forma começa a sofrer, é hora de encerrar. Se suas costas começarem a arquear ou os ombros começarem a afundar, faça uma pausa.

Foto Destaque: Divulgação / Istock

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *