Shutterstock 524351890

3 doenças parasitárias endêmicas no Brasil

Saiba mais sobre a malária, leishmaniose e esquistossomose

s doenças parasitárias são infecciosas e causadas pela presença de um parasita (protozoário ou metazoário) no corpo do paciente acometido, chamado, no caso, de hospedeiro.
A preocupação principal acerca dessas doenças é que elas apresentam um nível considerável de morbidade e mortalidade, e algumas delas são consideradas endêmicas no Brasil. Vamos conhecer 3 delas melhor!

  • Malária

Os protozoários causadores da malária são transmitidos pela picada de um mosquito infectado, então a melhor forma de se prevenir, principalmente em zonas endêmicas, é usando repelente, roupas compridas e mosquiteiro. 
A aparição dos primeiros sintomas pode variar entre 8 a até 30 dias após o contágio, de acordo com a espécie do protozoário. As manifestações iniciais podem ser leves, com apenas dores musculares, cansaço e um mal-estar geral; náuseas e vômitos podem acompanhar. 
Porém, os sintomas característicos são os que vem a seguir, que incluem febre alta, calafrios, excesso de suor e uma dor de cabeça intensa. Em estados muito graves, complicações como convulsão, anemia, hemorragias e delírios são um fator de risco e podem levar o paciente ao coma ou mesmo a óbito, por isso é necessário ajuda médica imediata ao perceber qualquer sintoma.

  • Leishmaniose

Causada por parasitas do gênero Leishmania, que se multiplicam nas células de defesa do corpo humano, a Leishmaniose é transmitida por insetos que se alimentam de sangue e sua evolução é longa, durando meses e, em alguns casos, até mais de um ano. Como pode ser letal, é preciso atenção.
A doença pode se apresentar de duas formas. A primeira, mais comum em crianças até dez anos, é chamada de leishmaniose visceral, e se manifesta com febre de longa duração e irregular, palidez, mal-estar, inchaço do abdômen e falta de apetite; anemia e perda de peso podem ser consequências.
A segunda forma, chamada de leishmaniose cutânea, geralmente começa com uma elevação avermelhada em um local da pele, que aumenta gradativamente até se tornar uma ferida com crosta e pus. Lesões no nariz ou na boca também podem ocorrer.

  • Esquistossomose

A transmissão dos vermes da esquistossomose acontece por meio do contato do ser humano com a água doce contaminada (rios e lagos), então é importante se certificar dos locais para banho e, de preferência, usar roupas de borracha para proteção.
Os sintomas podem demorar entre 1 e 2 meses para surgir e na fase aguda consistem em dores de cabeça e musculares, febre, fraqueza, tosse, calafrios, falta de apetite e diarreia. O fígado e o baço também podem inflamar e o inchaço ficar aparente.
Quando na fase crônica, a diarreia não passa (ou se alterna com prisão do ventre) e pode gerar emagrecimento, tonturas, coceira no ânus, sangue nas fezes e até endurecimento do fígado. As complicações podem exigir internação do paciente, mas, felizmente, a doença é considerada de baixa letalidade.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *