Elderly Man Examined By An Ophthalmologist

Saiba mais sobre o glaucoma, que pode levar à cegueira

Como não tem cura, o tratamento é feito para diminuir o avanço da doença

Glaucoma é uma doença que causa dano progressivo ao nervo ótico no ponto onde ele deixa o olho para transportar informações visuais para o cérebro. Existe mais de um tipo de glaucoma e a maioria surge sem aviso prévio. Se não for tratado, o problema avança e pode levar à cegueira.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Oftalmologia, o glaucoma é a segunda maior causa de cegueira em todo o mundo: estima-se que 4,5 milhões de pessoas são cegas por causa disso e que esse número aumentará para 11,2 milhões até 2020.

Conheça os tipos de glaucoma

Há vários tipos de glaucoma. Alguns podem ocorrer como uma complicação de outras doenças visuais, mas a maioria ocorre sem uma causa conhecida. Vamos conhecer os tipos mais recorrentes:

  •         Glaucoma Crônico de Ângulo Aberto: é o mais comum e surge quando o sistema de drenagem do olho deixa de funcionar à medida em que a pessoa vai envelhecendo. Pode danificar a visão de maneira lenta e indolor.
  •         Glaucoma de Ângulo Fechado: se caracteriza pela obstrução do ângulo de drenagem. Essa obstrução pode ser lenta e gradual (crônico) ou ocorrer de repente. O caso crônico é comum em pessoas de origem africana e asiática.
  •         Glaucoma Secundário: ocorre quando o ângulo de drenagem é afetado por lesões, uso de certas drogas (como os esteroides), tumores, inflamação e vasos sanguíneos anormais.
  •         Glaucoma Congênito: manifesta-se em recém-nascidos, que devem ser levados ao oftalmologista imediatamente.

O que causa o glaucoma

Especialistas da Sociedade Brasileira de Oftalmologia explicam que houve uma época em que se acreditava que a causa do glaucoma era a pressão alta dentro dos olhos. Agora, ficou estabelecido que mesmo pessoas com pressão intraocular normal podem sofrer de glaucoma.

Assim, a pressão intraocular agora é considerada um fator de risco para se desenvolver o problema. Outros fatores de risco para o glaucoma são: diabetes, ingestão de esteroides, uso regular de colírios com corticoide (ou colírio de qualquer tipo sem orientação médica), sofrer alguma lesão grave nos olhos, descendência racial, história familiar, miopia alta e idade avançada (as chances aumentam após os 40 anos).

Sintomas e tratamento

Ainda que seja uma doença assintomática, o glaucoma pode dar alguns sinais de que está se instalando. Fique atendo a:

  •         Visão borrada;
  •         Forte dor nos olhos;
  •         Dor de cabeça constante,
  •         Auréolas multicoloridas ao redor das luzes;
  •         Náusea e vômito.

O Conselho Brasileiro de Oftalmologia explica que ainda não há cura para o glaucoma, mas medicamentos ou cirurgias (tradicional ou a laser) podem estacionar ou desacelerar a perda da visão. Assim, o tratamento é uma medida de controle.

E os especialistas são categóricos: o diagnóstico precoce do glaucoma é essencial para restringir a deficiência visual e prevenir um progresso que pode levar à cegueira. Essa perda de visão é irreversível! Então, não adie suas consultas regulares ao oftalmologista e mantenha seus exames em dia!

Voltar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *