skip to Main Content

Os tipos de Esclerose Múltipla

Doença pode se apresentar de três formas diferentes, com variação de sintomas

De acordo com a Sociedade Brasileira de Esclerose Múltipla, estima-se que cerca de 35 mil brasileiros possuam essa doença crônica incapacitante, que se inicia entre os 20 e 40 anos de idade, principalmente em mulheres, diminuindo muito a qualidade de vida do paciente acometido.

A Esclerose Múltipla (EM) se caracteriza como uma condição neurológica e autoimune, na qual as células de defesa do corpo atacam o sistema nervoso central e provocam lesões cerebrais e medulares, que geram diversos sintomas desconfortáveis.

Identificando a Esclerose Múltipla

Antes de mais nada, é importante entender que essa doença não é contagiosa, porém ela também não possui cura e nem maneiras de prevenção. O tratamento é focado em controlar sua progressão e os sintomas, que podem incluir:

● Cansaço. A fadiga intensa é um dos sintomas mais comuns da EM, principalmente após algum esforço físico (mesmo que pequeno) ou diante de altas temperaturas.

● Fraqueza e rigidez. Formigamento, queimação e dores nos membros, principalmente nos inferiores. A fraqueza pode ser localizada ou do corpo no geral.

● Alterações fonoaudiológicas e visuais. Podem surgir no início da doença ou ao longo dos anos, sendo visão dupla ou a visão embaçada, e desde problemas para engolir até voz trêmula e fala enrolada.

● Problemas de equilíbrio e coordenação. Inclui a falta dos dois e também tremores, vertigens, debilidade e instabilidade para andar.

● Transtornos cognitivos e emocionais. Problemas de memória, transtornos de humor, depressão, ansiedade e irritabilidade extrema.

● Problemas sexuais. Disfunção erétil nos homens e comprometimento da lubrificação e/ou sensibilidade nas mulheres.

Classificando a doença

Para saber qual é o tipo da Esclerose Múltipla que o paciente apresenta, avalia-se a manifestação dos sintomas, os surtos e o modo como ela progride.

1. Esclerose Múltipla Remitente Recorrente (EMRR): forma mais comum da condição, que se apresenta com surtos de dias e até semanas em que os sintomas aparecem subitamente, mas depois se recuperam parcial ou totalmente.

2. Esclerose Múltipla Primária Progressiva (EMPP): não há surtos, os sintomas vão evoluindo progressivamente conforme os anos se passam e há mais chances de deixarem sequelas.

3. Esclerose Múltipla Secundaria Progressiva (EMSP): a doença começa igual na forma remitente, com surtos e remissão. Porém, após um tempo, a doença passa a progredir e piorar de forma lenta.

Voltar

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.