skip to Main Content
Celular pode causar problemas na pele; entenda

Notou mais espinhas no seu rosto? Marcas no pescoço? Atenção: você pode estar usando seu celular por tempo demais! Você já deve ter sentido dor de cabeça, nas mãos e no pescoço ao passar o dia inteiro curvada no celular, certo? Mas esses não são os únicos prejuízos desse hábito – cada vez mais, a ciência alerta para os risos à pele. Rugas, melasma, espinhas e alergia são alguns dos problemas que podem dar as caras antes do tempo, devido ao uso excessivo de smartphones, tablets e computadores.

Para entender melhor por que isso acontece e como evitar, conversamos com a dermatologista Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia.

Rugas

Vincos no pescoço pelo uso excessivo dos smartphones já até ganharam nome: são as rugas “Tech Neck”. E elas são cada vez mais comuns, viu? Um estudo da Universidade de Chung-Ang, na Coreia do Sul, mostrou que as marcas estão aparecendo em mulheres por volta dos 29 anos de idade – o normal é que surjam naturalmente por volta dos 40!

Claudia explica que isso ocorre devido à repetição de movimentos de curvatura com a cabeça. “A inclinação frequente para baixo acelera o processo de envelhecimento no pescoço. Formam-se sulcos, como se fossem ‘colares cervicais’”, explica a médica.

O que propicia o quadro é o fato de a pele dessa área ser muito fina — com espessura de aproximadamente 2 milímetros — e naturalmente pouco hidratada. Por isso, não se esqueça de proteger a região. “O protetor solar deve ter, no mínimo, FPS 30 e ser reaplicado a cada quatro horas”, indica. Outra recomendação importante é a de manter o celular na altura dos olhos e a postura, sempre reta.

Melasma

Além de estar relacionada com o envelhecimento precoce, a exposição excessiva aos raios ultravioleta, somada à falta de proteção, pode gerar manchinhas e até melasma (hiperpigmentação caracterizada por áreas escuras ou acastanhadas na pele). Assim, a luz que celulares, tablets e computadores emanam também pode contribuir para isso. “Essas telas geram alta quantidade de luz azul, mais até que a incandescente. Essa luz visível, que é toda aquela que enxergamos a olho nu, pode desencadear ou piorar doenças de pele e contribuir para o surgimento de manchas escuras”, alerta Claudia.

Como resultado, isso acontece porque os raios podem causar danos nos tecidos e agir diretamente no DNA das células, deteriorando a melanina — proteína responsável pela pigmentação e proteção celular. Bem como para evitar o processo, inclua produtos antioxidantes na sua rotina de beleza. “Muitos estudos já demonstraram que as vitaminas antioxidantes. Bem como a C e a E, conseguem amenizar inflamações causadas pelo sol e melhorar a reserva imunológica da pele contra agressores ambientais”.  Se forem usados à noite, melhor ainda: o sono é um período de regeneração do organismo e da reposição celular. Portanto, as vitaminas podem potencializar o efeito.

Acne

Em suma, preste atenção: se as espinhas estão aparecendo principalmente na bochecha e no queixo em apenas um lado do seu rosto, você pode ter caído na “zona do telefone”, que é onde o colocamos para atender ligações e escutar áudios. Assim, por ser um objeto com alta concentração de bactérias — estudos indicam que chega a conter a mesma quantidade de um banheiro público —, o smartphone transfere oleosidade e sujeira para a face, fatores que obstruem os poros. Nosso corpo reage com um aumento da produção de sebo e, quando você vê, as bolinhas vermelhas já apareceram.

É claro que existem muitos outros fatores que podem causar a acne. Assim, o ideal é que se consulte um dermatologista. Porém, você já pode começar a evitar a chateação higienizando bem a tela do celular (álcool isopropílico é uma solução). Então,  não espremendo as espinhas de jeito nenhum!

Alergias

O cromo e o níquel, presentes nas baterias dos celulares, são dois componentes relacionados com o aparecimento de alergias na pele. “Segundo a Associação Britânica de Dermatologistas, a alergia a níquel afeta 30% da população no Reino Unido. Dessa maneira, figura entre as dermatites de contato mais comuns”, diz Claudia. Assim, a recomendação é usar capinhas para seu aparelho e ir ao médico caso a irritação na pele apareça.

Tratamento de doenças da pele

Muitos distúrbios da pele são tratáveis. Os métodos comuns de tratamento para doenças da pele incluem:

  • anti-histamínicos
  • cremes e pomadas medicinais
  • antibióticos
  • injeções de vitaminas ou esteróides
  • terapia a laser
  • medicamentos prescritos direcionados

Nem todas as doenças de pele respondem ao tratamento. Algumas condições desaparecem sem tratamento. Pessoas com doenças de pele permanentes geralmente passam por períodos de sintomas graves. Às vezes, as pessoas são capazes de forçar condições incuráveis ​​em remissão. No entanto, a maioria das condições da pele reaparece devido a certos gatilhos, como estresse ou doença.

Muitas vezes, você pode tratar distúrbios da pele temporários e cosméticos com:

  • maquiagem medicada
  • produtos de cuidados com a pele de venda livre
  • boas práticas de higiene
  • pequenos ajustes no estilo de vida, como fazer certas mudanças na dieta

Prevenção de doenças da pele

Certos distúrbios da pele não são evitáveis, incluindo condições genéticas e alguns problemas de pele devido a outras doenças. No entanto, é possível prevenir alguns distúrbios da pele.

Siga estas dicas para prevenir doenças infecciosas da pele:

  • Lave as mãos com sabão e água morna com frequência.
  • Evite compartilhar talheres e copos com outras pessoas.
  • Evite o contato direto com a pele de outras pessoas que tenham uma infecção.
  • Limpe as coisas em espaços públicos, como equipamentos de ginástica, antes de usá-los.
  • Não compartilhe itens pessoais, como cobertores, escovas de cabelo ou roupas de banho.
  • Durma pelo menos sete horas por noite.
  • Beba bastante água.
  • Evite estresse físico ou emocional excessivo.
  • Coma uma dieta nutritiva.
  • Vacine-se para doenças infecciosas da pele, como varicela.

Doenças cutâneas não infecciosas, como acne e dermatite atópica, às vezes são evitáveis. As técnicas de prevenção variam dependendo da condição. Aqui estão algumas dicas para prevenir alguns distúrbios de pele não infecciosos:

  • Lave o rosto com um limpador suave e água todos os dias.
  • Use hidratante.
  • Evite alérgenos ambientais e alimentares.
  • Evite o contato com produtos químicos agressivos ou outros irritantes.
  • Durma pelo menos sete horas por noite.
  • Beba bastante água.
  • Coma uma dieta saudavel.
  • Proteja sua pele do frio excessivo, calor e vento.

Aprender sobre os cuidados adequados com a pele e o tratamento para doenças da pele pode ser muito importante para a saúde da pele. Algumas condições requerem a atenção de um médico, enquanto você pode abordar outras com segurança em casa. Você deve aprender sobre seus sintomas ou condição e conversar com seu médico para determinar os melhores métodos de tratamento.

Foto Destaque: Getty Images

Farmacêutico
Licenciado em Farmácia pela Universidade Paulista – UNIP – 2018
Profissional com 14 anos de Experiência em Farmácia de Manipulação,
após formação atuante como Responsável Técnico, com Inscrição no Conselho Regional de Farmácia N.89527

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.