SETEMBRO AMARELO – Precisamos falar sobre suicídio - Blog Unicpharma
Combateaosuicidio

Durante o mês de setembro, a cor amarela em locais públicos e particulares remete a campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio. A ampla divulgação de informações tem por objetivo alertar a população a respeito da realidade do suicídio no Brasil e no mundo e suas formas de prevenção.

A cada 40 segundos, uma pessoa comete suicídio no mundo. No Brasil são registrados 12 mil casos de morte autoprovocada por ano. São mais de 800 mil pessoas por ano que cometem suicídio em todo o planeta.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu o suicídio e suas respectivas tentativas como uma das prioridades da agenda global de saúde. O suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens entre 15 e 29 anos.

Como identificar um comportamento suicida?

É sempre bom ficar atento, pois todo suicida apresenta sinais. Ele sempre dá um grito de socorro, seja com palavras ou atitudes. Se alguém usa frases como: “não vejo razão para continuar vivendo”, “quero morrer” e “minha vida não tem sentido”, não ignore, porque são sinais evidentes. Os casos mais difíceis de identificar são os das pessoas que usam álcool ou drogas, pois elas podem se suicidar num momento de alucinação ou num momento de surto devido ao uso abusivo destas substâncias. Sendo assim, quando se trata de um dependente químico, é sempre bom ficar de olho.

É importante observar os que sofrem de depressão severa ou transtorno bipolar. A tristeza profunda e a falta de sentido, podem levar o indivíduo a querer livrar-se da dor. No caso do transtorno bipolar, ambas as fases (tanto mania, quanto depressão) são perigosas. Na fase da mania, as pessoas têm atitudes exageradas que diminuem seu medo da morte como, por exemplo, andar em alta velocidade e fazer uso de substâncias perigosas em exagero, ocorrendo um suicídio não intencional. Já na fase da depressão, devido à oscilação do humor, a pessoa age como se estivesse na depressão severa.

Como agir quando alguém quer cometer suicídio e não aceita ajuda?

Uma conversa com os familiares pode ser um tipo de ajuda, pois eles ficarão mais atentos e podem até convencê-lo a buscar ajuda profissional.

Tente encontrar a razão que ainda o mantém vivo, que pode ser um filho ou um outro familiar. Use estas pessoas para ajudá-lo a encontrar uma razão para lutar. Se você o ouvir, acolher e amar, já será uma grande ajuda.

Quando alguém conta que quer se matar, na verdade, essa pessoa ainda está procurando alguém para lhe oferecer uma razão para não fazer isso. Então, sempre vale a pena se interessar. Só devemos tomar cuidado com a maneira como fazemos isso, pois frases do tipo: “você não tem motivo para estar assim” e “você tem tudo” só atrapalham ao invés de ajudar.

O que é recomendado para quem se sente depressivo e precisa buscar ajuda?

É necessário procurar um psicólogo e psiquiatra para verificar fatores neurológicos e necessidade de medicação. Recomendo seguir o que for proposto por estes profissionais, pois muitos dão o passo de buscar ajuda, mas não colocam o tratamento em prática. Esforçar-se neste sentido pode ajudar muito. Além de psicóloga, sou uma cristã, e acredito que buscar a Deus também pode fazer toda a diferença.

Lembre-se: VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO

Você pode encontrar ajuda através do CVV – Centro de Valorização da Vida (Em todo o Brasil)
O telefone é: 188   Atendimento por chat ou e-mail: www.cvv.org.br

Em nosso site temos manipulados que podem ajudar também clique aqui e saiba mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *