Morice

Praticar tênis pode ser o exercício ideal para viver por mais tempo

Você provavelmente sabe que praticar exercícios é bom para você, mas você sabe se é melhor andar de bicicleta ou dar voltas na piscina?

Na verdade, se você quiser obter o melhor de seu exercício, você deveria pegar uma raquete, revela nova pesquisa.

Uma análise de mais de 80.000 adultos que foram rastreados por quase uma década considera que aqueles que jogaram tênis, badminton ou squash tiveram o menor risco de morrer durante o período de estudo. Em comparação com pessoas que não praticavam estes esportes, os praticantes foram 47% menos propensos a morrer por qualquer causa e tinham a probabilidade 56% menor de morrer como resultado de doença cardiovascular.

Se estes esportes não são seus preferidos, você pode colocar uma sunga ou um maiô e um óculos de mergulho. No estudo, os nadadores foram 28% menos propensos a morrer por qualquer motivo e tinham 41% menos probabilidade de morrer por doença cardiovascular do que as pessoas que não praticavam a natação.

Outra boa alternativa é participar de uma aula aeróbica, como Zumba ou outro tipo de atividade como essa. Aqueles que a praticaram tinham 27% menos probabilidade de morrer por qualquer causa e 36% menor probabilidade de morrer de doença cardiovascular durante o período de estudo do que aqueles que não praticavam.

Os resultados, publicados no British Journal of Sports Medicine, são baseados em dados de 43.705 mulheres e 36.601 homens que participaram na Health Survey for England ou na Scottish Health Survey. Esses voluntários, com idade média de 52 anos, disseram aos entrevistadores quantas vezes eles se exercitavam, que tipo de exercício faziam e quão intensos eram seus exercícios.

A natação foi o tipo de exercício mais comum, citado por 13,4% dos voluntários do estudo. Ciclismo foi o segundo, com 9,9% dos voluntários dizendo que andavam de bicicleta, seja ao ar livre ou em uma bicicleta ergométrica. As aulas de aeróbica foram a terceira opção (6,4% das pessoas), seguido de corrida (5%), esportes com raquete (3,6%) e futebol ou rubgy (3,1%). No geral, 44,3% das pessoas cumpriam recomendações mínimas para algum tipo de atividade física.

Os autores do estudo verificaram quantos dos voluntários morreram nos anos subsequentes, rastreando-os por uma média de 9,2 anos. No total, 8.790 dos participantes do estudo morreram, sendo 1.909 por doença cardiovascular.

O risco de morte não foi distribuído igualmente, segundo os pesquisadores. Em comparação com pessoas que não fizeram exercício suficiente, aqueles que atingiram os padrões mínimos tinham 27% menos probabilidade de morrer por qualquer razão e 28% menos probabilidade de morrer por doença cardiovascular durante o curso do estudo.

Os ciclistas tiveram um risco 15% menor de morte por qualquer causa do que os que não andavam de bicicleta, mas a prática não teve um efeito significativo sobre o risco de morte cardiovascular.

Corredores não tinham menores probabilidades de de morrer de doença cardiovascular ou qualquer outra razão, assim como aqueles que jogaram futebol ou rugby.

Todos os cálculos foram ajustados para se levar em conta a idade, o nível de escolaridade, o índice de massa corporal, a saúde física e psicológica, o hábito de fumar e o hábito de consumir álcool.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *