Estrias impedem a vitalidade da pele - Blog Unicpharma
Af94e4dbf84f92b10a404877291eb9e1

Estrias impedem a vitalidade da pele

As estrias são lesões irreversíveis decorrentes de alterações ocorridas nas fibras elásticas e colágenas da pele que se rompem, não escolhem alvo e podem surgir tanto em mulheres como em homens, embora, neste último grupo, com menor freqüência (aproximadamente 40%). Não possuem relação com a gordura corporal, e sim com a elasticidade da pele devido a alterações hormonais, aumento de peso, crescimento rápido nos adolescentes, uso de anabolizantes e musculação excessiva.

O aparecimento de estrias no corpo masculino é menor porque eles sofrem menos do “efeito sanfona”. Além disso, a produção de estrógeno e progesterona na mulher ajuda a estimular o aparecimento das lesões. As partes do corpo feminino mais propícias ao aparecimento de estrias são nádegas, abdome e mamas. Já nos homens elas aparecem mais frequentemente nas coxas (porção lateral), costas, região lombar e ombros.

As estrias dos ombros, costas e atrás dos joelhos surgem normalmente na adolescência devido ao crescimento repentino que provoca distensão mecânica. O mesmo mecanismo explica, nas grávidas, aquelas que aparecem no abdome (crescimento uterino) e nas mamas.

O uso de anabolizantes e hipertrofia muscular repentina sem tempo de adaptação da pele ao volume adquirido é também um dos responsáveis pelas indesejadas. Pessoas sedentárias também apresentam maior predisposição para esse tipo de lesão na pele. A falta de exercícios cotidianos como uma simples caminhada ou a subida de degraus pode prejudicar a circulação sanguínea. Os problemas de circulação prejudicam a vitalidade da pele e atrapalham a manutenção da sua elasticidade.

As estrias podem ser classificadas como:

“As estrias dos ombros, costas e atrás dos joelhos surgem normalmente na adolescência devido ao crescimento repentino que provoca distensão mecânica”

– Rosadas: Predomina o caráter inflamatório onde, por transparência, vê-se a coloração róseo-avermelhada dos vasos sanguíneos dérmicos. Pelo mesmo motivo, pode surgir edema local justificando a tumefação e o prurido desta fase.

– Atróficas: Nesta fase a estria apresenta-se com depressão central e hipocromia (perda de coloração), porém com anexos da pele ainda preservados (pêlos, glândulas sudoríparas e sebáceas).

– Nacaradas: Entre um e dois anos, as estrias ganham uma coloração esbranquiçada, sinal de que a pele original foi substituída por um tecido fibroso. O aspecto é de uma cicatriz mais espessa e profunda. A partir desta última etapa, os tratamentos não são tão eficazes. Mesmo assim, é possível melhorar a aparência destas, deixando-a mais estreita e diminuindo sua depressão.

Tratamentos

Basicamente, a aposta é associar luz pulsada, laser e radiofreqüência, de acordo com cada caso. O médico pode ainda prescrever o uso de cremes, principalmente com ácido retinóico. Essas opções podem ser utilizadas também por adolescentes.

Peeling de Cristal: A partir da emissão de um jato a vácuo de cristais de óxido de alumínio, funciona de forma semelhante aos peelings, porém, atinge camadas mais profundas da pele, “irritando” e estimulando a produção de colágeno, além de deixar a pele acima das estrias mais fina, facilitando a entrada de ativos dos cremes de uso diário Primeiros resultados podem ser perceptíveis após a segunda sessão. Número de sessões: seis a oito, sendo uma por semana ou a cada 15 dias.

Mesoterapia: é um tratamento que pode ser aplicado nos dois tipos de estrias. Com agulhas finas é injetada no local da estria, uma substância capaz de estimular a produção de colágeno na quantidade ideal para preencher os sulcos das estrias antigas, que, por conseqüência, ficam mais estreitas. O tratamento leva no mínimo dois meses e cada aplicação dura 10 minutos por área de estria.

Laser: O procedimento feito com laser de CO2 pode melhorar até 70% das estrias brancas e 90% das estrias vermelhas. Este tratamento atinge as estrias profundamente e estimula a retração das fibras estiradas; age por micro queimaduras na derme, sem afetar a camada mais superficial da pele, e não deixa vermelhidão no local tratado. Sua função é reorganizar a pele, atingindo milhões de pontinhos microscópicos na pele, que será substituída por pele nova, devendo-se ter cuidados especiais para pessoas de pele morena. Primeiros resultados: a partir da terceira ou da quarta sessão. Número de sessões: seis com intervalos de 15 a 30 dias.

Luz intensa Pulsada: A energia luminosa da Luz promove estímulo à produção de colágeno e destruição de vasinhos inestéticos, melhorando a textura e cor das estrias.

Prevenção

Peeling Químico: O ácido estimula a produção e a organização das fibras colágenas, fazendo com que as estrias se tornem mais finas e planas. Também remove as camadas superficiais da pele, melhorando a coloração e o brilho. Número de sessões: de seis a dez, feitas quinzenalmente.

Carboxiterapia: O gás carbônico injetado diretamente nas estrias promove vasodilatação local, com conseqüente aumento do fluxo vascular e de oxigênio tecidual. Melhora a micro-circulação e a oxigenação dos tecidos, estimulando a formação de colágeno e novas fibras elásticas. Os números de sessões são dez, em média, sendo uma a cada 15 dias.

“O aparecimento de estrias no corpo masculino é menor porque eles sofrem menos do “efeito sanfona”. Além disso, a produção de estrógeno e progesterona na mulher ajuda a estimular o aparecimento das lesões”

Sub incisão

Modo de ação: a agulha “descola” a pele das estrias, fazendo-se uma subincisão, que estimula a formação de novas fibras e eleva a estria, deixando a depressão menos aparente, permitindo posteriormente, até o preenchimento destas. Os resultados são visíveis após a quarta sessão.

Número de sessões: dez, em média, sendo uma a cada 15 dias.

Cirurgia: Utilizada apenas para estrias grandes e largas, serve para reduzir o tamanho total da estrias que são posteriormente tratadas com outras técnicas que disfarçam a cicatriz como os preenchimentos citados acima.

Número de sessões: depende do número de estrias, cada estria é trabalhada apenas uma única vez.

Radiofreqüência: Estimula a produção de novas células de colágeno por meio de aquecimento tecidual agindo na derme. Procedimento indolor e de fácil execução sem riscos em pacientes de peles mais escuras.

Infravermelho (Titan, Tight-Skin): Age igualmente á radiofreqüência promovendo estímulo térmico capaz de “agredir” de maneira controlada o tecido e induzir a neo-colagênese. Também indicado em pacientes de fototipo alto.

A prevenção consiste em evitar o ganho excessivo de peso, por meio de dieta balanceada e exercícios físicos, se possível acompanhados além de hidratar a pele, para deixá-la mais elástica, com produtos à base de uréia, óleo de macadâmia ou de semente de uva, entre outros. Essas medidas não afastam a possibilidade de surgir estrias, mas conseguem diminuir o problema. Homens não costumam utilizar-se de cremes hidratantes, apesar de essa cultura estar mudando um pouco. Entretanto, se tiver histórico familiar, seria interessante a prevenção.

Voltar

This Post Has One Comment
  1. Nossa adorei o conteúdo mesmo, pois eu tenho muitos estrias e qualquer assunto deste tipo eu gosto de ler parabéns!!

    Vou compartilhar com as minhas amigas.

    Obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *