Exame Sangue 750×450

Hemograma e coagulograma: para quê servem esses exames?

Hemograma e coagulograma são exemplos de exames de sangue que podem fornecer muitas informações sobre a saúde de uma pessoa. O ponto de partida para a realização desses exames é a coleta do sangue do paciente. Mas as semelhanças entre eles param por aí.

Confira, neste post, para que servem o hemograma e o coagulograma, e que informações podem ser obtidas a partir dos resultados.

Hemograma

O hemograma é o exame mais solicitado pelos médicos. Ele consiste na contagem e na análise dos componentes da parte sólida do sangue:

  • hemácias (glóbulos vermelhos);
  • leucócitos (glóbulos brancos);
  • e plaquetas (fragmentos de células originados na medula óssea).

Por que o hemograma é solicitado?

Esse exame permite avaliar a condição clínica de um paciente. Assim, suas principais indicações incluem a identificação ou o acompanhamento da progressão de doenças, além da verificação da eficácia do tratamento proposto.

A solicitação do hemograma é comumente feita em consultas de rotina. Ele deve ser pedido, principalmente, quando o paciente se queixa de fraqueza, cansaço, febre ou sangramentos detectando diversos distúrbios como anemias, leucemias, doenças autoimunes, infecciosas e ate para acompanhamento de arboviroses como a dengue.

Como o exame é realizado?

O hemograma é realizado a partir da coleta do sangue de uma veia periférica localizada, geralmente, no braço e por um profissional da saúde (normalmente um enfermeiro). Para esse exame, é necessário retirar apenas 1mL de sangue.

Não é necessário ficar de jejum antes de realizar o hemograma. Entretanto, muitas vezes são solicitadas outras análises, como perfil lipídico ou dosagem de glicose, que exigem que o paciente fique sem se alimentar por algumas horas.

O hemograma não apresenta contraindicações, pois é feito somente com extração de sangue, mas algumas condições podem interferir nas análises. É o caso do uso de alguns medicamentos e o consumo de bebidas alcoólicas.

Quais informações podem ser obtidas a partir dos resultados?

O laudo do hemograma traz diversos dados que podem ser correlacionados com problemas de saúde. Conheça alguns:

  • contagem de glóbulos vermelhos: quando o número de hemácias é baixo, há suspeita de anemia; Já valores altos são denominados eritrocitose e podem significar policitemia, o oposto da anemia;
  • volume corpuscular médio: auxilia na análise do tamanho das hemácias, hemácias muito grandes ou muito pequenas são sugestivas de deficiência nutricional e anemia, respectivamente;
  • rdw ou índice de anisocitose: avalia a diferença do tamanho entre as hemácias. Quando elevado, pode significar problema na morfologia das células.
  • variedade de glóbulos brancos: alterações na “série branca” podem ser causadas por infecções, alergias ou problemas na produção de células sanguíneas;
  • contagem de plaquetas: poucas plaquetas no sangue dificultam a coagulação sanguínea e deixam o paciente suscetível a hemorragias;
  • hematócrito:  representa a porcentagem do sangue ocupada pelas hemácias. Quando o percentual de glóbulos vermelhos está baixo, pode indicar anemia;
  • dosagem da hemoglobina: é uma proteína presente nas hemácias, responsável por pigmentar o sangue e transportar o oxigênio pelo corpo, sua deficiência é outro sinal de anemia.

Coagulograma

O coagulograma é um conjunto de provas que podem ser solicitadas por médicos e dentistas  para analisar e detectar alterações no tempo de coagulação do sangue. A interpretação de seus resultados permite diagnosticar complicações hemorrágicas e verificar a viabilidade de procedimentos que causam sangramentos, como cirurgias.

Por que o coagulograma é solicitado?

Há 4 indicações principais para a solicitação do coagulograma:

  • avaliação pré-operatória;
  • investigação de distúrbios hemorrágicos (hematomas frequentes, tempos longos de sangramento ou hemorragias espontâneas);
  • avaliação de condições que aumentam o risco de trombose;
  • monitoramento de pacientes que usam medicamentos anticoagulantes.
  • Após picada de animal ou inseto que possui toxina a qual altera a hemostasia (coagulação)

Como o exame é feito?

Inicialmente, é coletado sangue de uma veia periférica. O coagulograma é composto por 4 testes laboratoriais:

  1. Tempo de protrombina. 
  2. Tempo de tromboplastina parcial ativada.
  3. Contagem de plaquetas.
  4. Teste de agregação plaquetária.

Em alguns casos, são solicitados 2 testes complementares. O “tempo de sangramento”  que corresponde a duração de uma pequena hemorragia quando uma incisão de dimensões padronizadas ‘e realizada na pele. Já o “tempo de coagulação” é medido a partir da coleta do sangue em tubo sem anticoagulante e a verificação do tempo necessário para a formação do coágulo.

Antes do exame, é recomendado um jejum de 2 horas. Os remédios anticoagulantes e alguns antibióticos podem interferir no resultado.

Que informações podem ser obtidas a partir dos resultados?

O coagulograma avalia parâmetros que influenciam o processo de coagulação. Alterações no exame que indicam que a coagulação não está ocorrendo normalmente podem impedir a realização de procedimentos cirúrgicos ou indicar a necessidade de medidas para evitar hemorragias — como no caso da dengue — ou a formação de trombos (uma coagulação que ocorre no interior do vaso sanguíneo).

Assim, podemos concluir que hemograma e coagulograma são exames distintos, mas igualmente simples e rápidos, capazes de fornecer muitas informações sobre o quadro de saúde do paciente. Eles não oferecem riscos e o desconforto causado é mínimo.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *