Halitose atinge cerca de 30% da população - Blog Unicpharma
Shutterstock 518590276

Halitose atinge cerca de 30% da população

Mau hálito não é doença, mas pode estar relacionado a uma

O mau hálito é uma coisa normal que pode acontecer em algum momento do dia de qualquer pessoa. Porém, quando o hálito se altera de forma anormal e constante a condição é chamada de halitose, algo que atinge aproximadamente 30% da população atualmente.
É importante entender que a halitose não é uma doença, mas está sempre relacionada a algum desequilíbrio do corpo, que pode ter a ver com uma condição de saúde ou então alguma alteração fisiológica que geram um estado crônico de mau hálito. Por isso, é importante que ela receba a devida atenção. 
Possíveis causas da halitose
De acordo com a Associação Brasileira de Halitose, essa condição pode estar associada a uma lista longa de problemas: mais ou menos 60 causas diferentes, por isso precisa ser avaliada por um dentista. 
As origens podem ser:

  • Fisiológicas: alterações relacionadas aos hábitos alimentares que envolvem alimentos e dietas não adequadas ou jejum prolongado.
  • Condições envolvendo a região bucal: desde fatores induzidos, como a má higiene bucal e da língua, que causa placas bacterianas nos dentes e lingual, a outras patologias, como cáseos amigdalianos (formados por pele morta, proteínas da saliva e restos de alimentos), problemas de gengiva e baixa produção de saliva, por exemplo.
  • Problemas das vias aéreas: alergias e infecções respiratórias como rinites, sinusites e adenoides.
  • Causas sistêmicas: ou seja, relacionada a doenças de outras partes do corpo, como diabetes, problemas nos rins ou fígado, prisão de ventre acentuada, etc.
  • Estresse
  • Efeito colateral de uso excessivo de medicações
  • Tabagismo/Drogas/Bebidas alcoólicas

O que fazer
A boa notícia é que essa é uma condição facilmente reversível e não precisa atrapalhar a vida social de nenhum indivíduo. Descobrir ao que a halitose pode estar relacionada é o primeiro passo, pois pode exigir apenas uma mudança de hábito, como trocar de medicamentos ou largar o cigarro.
Outras dicas que ajudam no controle da halitose são a higiene bucal diária e completa, cuidados com a alimentação (tipos de alimentos e evitar o jejum), boa ingestão de líquidos e visitas semestrais ao dentista para cuidar da saúde bucal e evitar problemas na região.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *