Shutterstock 296394011

Degeneração Macular Relacionada à Idade: causas e sintomas

Doença ocular precisa de diagnóstico precoce para evitar a cegueira total

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), atualmente, no Brasil, há mais ou menos 3 milhões de pessoas convivendo com a Degeneração Macular Relacionada à idade (DRMI), uma doença ocular que não tem cura, mas pode ser controlada.
Um dos fatores que influenciam esse número alto de casos é que muita gente ainda não sabe como ela se manifesta. E considerando que em algumas pessoas a perda da visão devido à DRMI pode demorar para acontecer enquanto em outras pode progredir de forma rápida, é importante que a doença seja sempre identificada precocemente para evitar a cegueira total.
Por que a DMRI acontece
Como o próprio nome sugere, essa doença está associada principalmente à degeneração natural da mácula, área central da retina, que ocorre com o avanço da idade. Pessoas acima dos 50 anos são as mais afetadas.
Outros fatores que contribuem para que essa degeneração aconteça são a herança genética da doença na família, cor clara dos olhos – incidência maior em olhos azuis ou verdes –, tabagismo, exposição em excesso à radiação solar e uma alimentação rica em gorduras.
A DMRI pode se manifestar de duas formas: exsudativa ou não-exsudativa. A forma exsudativa, que envolve um desenvolvimento de vasos sanguíneos anormais sob a retina, é a mais grave, em que o paciente pode chegar à cegueira total, porém felizmente são apenas 10% dos casos.
Os outros 90% são acometidos pela forma não-exsudativa, também chamada de DMRI seca, na qual cristais se formam e se acumulam no fundo dos olhos, causando atrofia da região e perda progressiva da visão. 
Como identificar a doença
No início da doença, a DMRI pode não apresentar sintomas, por isso é essencial o check-up oftalmológico com um profissional da área para identificar essa ou outras patologias oculares precocemente. 
Quando ela passa a dar sinais, suas principais manifestações são imagens distorcidas e manchas ou pontos escuros na visão. A visão central também diminui, então ler, por exemplo, pode se tornar uma tarefa complicada. Em alguns casos, somente um dos olhos é afetado, o que dificulta ainda mais a percepção do paciente de que há algo errado.
O tratamento da DMRI é realizado com a prescrição de vitaminas e antioxidantes, bem como sua prevenção. Também recomenda-se que o paciente utilize tanto os óculos escuros quanto os de grau com proteção UVA e UVB.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *