Pus na garganta, como identificar? - Blog Unicpharma
Shutterstock 194002763

Pus na garganta, como identificar?

A coloração do catarro é um indicador da presença do pus e da infecção na garganta 
O muco, que conhecemos como catarro, é produzido pelas nossas vias aéreas superiores (cavidades nasais, faringe e laringe) como um lubrificante natural. Seu estado normal é na coloração transparente e sem cheiro, e é responsável por remover qualquer sujeira e impureza que respiramos no dia a dia.
Quando o catarro se acumula e incomoda a garganta, dependendo também das mudanças na sua coloração, pode ser um indicador de que algo está errado. Quando, ao expelirmos, sentimos um odor desagradável e forte, e seu aspecto é mais grosso que o comum, de coloração que varia entre amarelo e verde, ele está composto também por material purulento, o famoso pus.

O que significa?

Essa secreção é produzida como consequência de processos inflamatórios. Então, o pus na garganta é um sintoma associado às infecções mais conhecidas: a amigdalite e as faringites.

  • Amigdalite aguda: As amígdalas são estruturas que ficam entre a boca e faringe. Quando elas sofrem uma infecção viral ou bacteriana, chamamos de amigdalite. Essa condição é a mais comum de apresentar os pontos de pus na garganta e, devido ao inchaço na região, interfere tanto na hora de engolir os alimentos, como no fluxo normal do catarro, o que pode ocasionar a sinusite.  A febre, a dor de garganta, o mau hálito e a falta de apetite também são sintomas frequentes.
  • Faringites virais: A faringe é o órgão que conecta todo o aparelho digestório e o respiratório, tendo ligação também com os ouvidos. No caso da infecção viral, os sintomas são dor de garganta, febre, mal-estar, rouquidão, tosse, diarreia e até conjuntivite em alguns casos. O pus pode ou não estar presente na região das amígdalas, que também são afetadas durante a infecção, e vai depender da gravidade do quadro.
  • Faringite estreptocócica: é a infecção bacteriana da faringe, que causa quadros de febre alta, calafrios, vômitos, dor de garganta, de cabeça e abdominal. As amídalas também ficam congestionadas e aumentadas, e com presença do pus. Essa condição requer atenção porque a infecção pode se disseminar, se tornando também a otite, meningite, endocardite, pneumonia, entre outras, ou até resultar na febre reumática e na glomerulonefrite, inflamação na região dos rins.

 

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *