IStock 532170854

Problemas bucais podem trazer complicações durante a gestação

O corpo da mulher muda bastante com a gestação e, por isso, a saúde passa a exigir cuidado redobrado. Fazer um pré-natal bucal, com o acompanhamento regular de um dentista deve ser parte da rotina durante todo esse período. Afinal, problemas bucais podem interferir no bom funcionamento do organismo e trazer alguns riscos.

Gestação coloca a saúde bucal em risco

De acordo com um estudo feito pela Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), problemas periodontais como inflamação ou infecção na gengiva podem afetar até 83% das gestantes. Isso acontece porque as alterações hormonais comuns do período, como aumento dos hormônios estrogênio e progesterona, podem agravar as condições de doenças desse tipo.

Os especialistas do Ministério da Saúde explicam que essa condição periodontal é clinicamente semelhante a uma gengivite causada por placa. Entre os principais sintomas estão gengiva de coloração avermelhada, inchada, com sangramento ao simples toque ou durante a escovação.

Vale lembrar que os enjoos e vômitos frequentes na gestação aumentam a acidez bucal e favorecem o desenvolvimento de bactérias. Como isso potencializa os problemas periodontais já existentes, fazer o pré-natal bucal se torna cada vez mais importante.

Entenda o risco e previna-se!

Quando a gengivite não é tratada no estado inicial, as bactérias se tornam mais fortes e numerosas e conseguem se infiltrar além da gengiva: vão para o osso e ligamentos que sustentam os dentes, causando a periodontite. De acordo com o Ministério da Saúde, focos de infecção de origem bucal, principalmente a periodontite, podem aumentar as chances de parto prematuro e nascimento de crianças com baixo peso.

Para evitar o risco, não dispense o pré-natal bucal. As consultas regulares ao dentista vão proporcionar não só a as medidas de prevenção, mas o diagnóstico precoce do problema.

Já está sofrendo com doenças da gengiva? Não se preocupe. Os especialistas explicam que os tratamentos são seguros e contribuem para uma saúde geral e gestação saudável. E ainda alertam: ainda que o segundo trimestre seja o mais favorável para realizar esses procedimentos, o pré-natal bucal deve acontecer durante toda a gestação.

Pré-natal bucal é bom para o bebê

A preocupação com a saúde dos dentinhos da criança deve começar quando ele ainda está na barriga da mãe. É a partir da sexta semana gestacional que a dentição e o paladar começam a se desenvolver. Carência nutricional, infecções e algumas medicações podem favorecer a malformação e uma mineralização inadequada dos dentes.

Até do pré-natal bucal, vale ter atenção à alimentação. O cálcio e o fósforo são fornecidos ao bebê pelos alimentos ingeridos pela mãe. E para suprir essas necessidades, é importante optar por alimentos ricos nesses minerais como queijo, leite e peixe. Assim, uma dieta equilibrada nutre o bebê e proporciona um desenvolvimento saudável em todos os aspectos.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *