Da Entrada Ao Prato Principal O Que Servir Em Dias Quentes

Adapte seu cardápio para a entrada do verão

Reconheça as mudanças físicas do seu corpo e aposte no menu certo

Você já deve ter notado que sente mais sede quando o verão se instala.

A explicação é simples: nos dias quentes, a temperatura corporal aumenta, fazendo o corpo perder mais líquidos e minerais.

É justamente por este motivo que a atenção com as goladas precisa ser redobrada neste período do ano.

Para driblar a maior perda de líquidos, é importante beber água antes que a sede apareça. Não espere a sede chegar, pois ela é um sinal de que o corpo está em processo de desidratação já.

No verão, a recomendação é de 10 a 12 copos de água por dia. Tomando oito copos é um bom começo , incentiva Karina Gallerani, nutricionista.

Ela diz ainda que não é preciso ingerir grandes quantidades de líquidos de uma só vez. O ideal é beber pequenas quantidades, várias vezes ao dia . Porém, vale evitar a ingestão de água durante as refeições.

A nutricionista recomenda dar um intervalo de, pelo menos, uma hora entre os pratos principais e a ingestão de líquidos.

Se administrada junto às refeições, a água em excesso pode dificultar a digestão, diluindo parte das enzimas digestivas e causando a sensação de estufamento , completa.

As bebidas isotônicas também entram em cena para cumprir a função de repor os líquidos e minerais perdidos. No entanto, eles são recomendados quando a perda de água e eletrólitos através da transpiração é excessiva.

Bebidas isotônicas são uma ótima pedida para quem pratica atividade física. Além de conter quantidades equilibradas de sais e água com um sabor agradável, dão energia e disposição por conterem carboidratos em sua composição , informa Karina.

A água de coco se destaca como um isotônico natural e não deve ficar de fora do cardápio dos esportistas.

Já as bebidas alcoólicas, lembra a nutricionista, não são nada aconselháveis no verão, pois aumentam a diurese, favorecendo a desidratação.

Mais uma forma de obter a água necessária para o bom funcionamento do organismo é apostar nos alimentos certos. Karina conta que todos eles contêm água em sua composição, porém, em concentrações variadas.

Verduras, frutas e legumes podem apresentar cerca de 90% de seu peso composto por água. Por outro lado, petiscos, bolachas e bolos podem apresentar apenas 5% do líquido.

A responsável nutricionista, Roberta Stella, ressalta que um cardápio de verão recheado de alimentos gordurosos resulta em sonolência e indisposição, além de retardar a quebra dos alimentos.

As melhores opções para os pratos são leite desnatado, queijos brancos e carnes magras. Evite as preparações fritas, à parmegiana, empanados e molho branco, aconselha.

Acompanhe o ritmo do seu corpo

As mudanças no corpo não ficam só por aí. Durante o verão, o metabolismo basal diminui. Ou seja, a atividade desempenhada pelo organismo para a manutenção da vida, como batimentos cardíacos e respiração, é menor, já que o corpo não precisa de tanto esforço para se manter aquecido como no inverno, cita Karina Gallerani.

De acordo com a nutricionista Roberta, isso não significa que a estação seja mais tentadora para os quilos extras se instalarem, mas a alimentação precisa ser controlada.

Dá para aproveitar o clima quente para consumir alimentos poucos calóricos e ricos em água. Além disso, o verão estimula a prática de atividade física, aumentando o gasto de calorias , fala sobre o lado positivo da moeda.

Atente, no entanto, aos horários em que vai se exercitar, já que é comum ver pessoas fazendo caminhadas e corridas em horários inadequados, de pico do sol.

Nenhum tipo de atividade física deve ser feita em jejum para evitar estafa, ou ainda, uma eventual hipoglicemia. Também é essencial ter uma garrafa de água em mãos para se hidratar durante o exercício , recomenda Roberta.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *