Relações sociais e a importância para a saúde do idoso - Blog Unicpharma
Relações Sociais E A Importância Para A Saúde Do Idoso

Relações sociais e a importância para a saúde do idoso

Idosos que mantêm contato constante com familiares e amigos correm menos risco de morte

O processo de envelhecimento envolve mudanças profundas e que não se limita ao aspecto físico. Além dos cuidados básicos com a saúde do idoso em geral, é preciso considerar que fatores psicológicos e sociológicos também influenciam a vida das pessoas mais velhas. E é aí que as relações sociais mostram a sua importância.

Vale tudo para espantar a depressão

De acordo com a Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), à medida em que envelhecemos nos tornamos mais propensos a experimentar sintomas de depressão: condição que pode estar ligada a uma maior probabilidade de se desenvolver doenças cardíacas e de se sofrer um derrame.

Além disso, pesquisadores sugerem que a relação depressão-doença cardíaca pode ter um papel no aumento do risco de morte entre os idosos. Há também um elo conhecido entre depressão e mortes por câncer e quedas em adultos mais velhos, segundo a SBGG.

Por aí, já é possível perceber que ter atenção aos sintomas de depressão é essencial para a manutenção da saúde do idoso. Buscar tratamento para a doença é ainda mais importante, e estimular a pessoa a manter relações sociais pode fazer a diferença nisso.

Contato social protege a saúde do idoso

Pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália, realizaram um estudo com um grupo de 424 idosos e concluíram que aqueles que eram membros de associações como clubes e igrejas apresentaram menor índice de mortalidade em comparação com os idosos que resolveram se isolar socialmente.

Só para ter ideia do quanto a interação social faz diferença na saúde do idoso, quem manteve contato regular com outras pessoas reduziu o risco de morte em 2% enquanto a turma que permaneceu solitária viu esse mesmo risco subir 12%.

Os especialistas da SBGG explicam que a hipótese é que as relações sociais repercutem no equilíbrio emocional e na capacidade cognitiva do idoso. Com isso, a pessoa que mantém os vínculos envelhece melhor. E sobre vínculos pode-se entender contato constante com filhos e netos, encontro regular com amigos, interação com colegas de academia e até amizades virtuais.

Inclusão digital é importante

Entre os anos 2010 e 2018, o número de brasileiros conectados à internet cresceu 100%. Entre os idosos, esse aumento foi de 1.000%, segundo o instituto de pesquisa Locomotiva. Além de ferramenta de trabalho, o principal uso da internet nessa faixa etária é para socialização.

Os especialistas da SBGG comentam que a inclusão do idoso no mundo digital pode favorecer uma melhor qualidade de vida, ampliando a comunicação com a família e os amigos, permitindo maior acesso a informações e, principalmente, a adaptação a novas situações do mundo atual.

Assim, fazer a inclusão digital também é uma forma de se cuidar da saúde do idoso, uma vez que, com isso, a pessoa se sente mais independente e autônoma.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *