Como acabar com os gases? - Blog Unicpharma
Shutterstock 640007002

Como acabar com os gases?

O estilo de vida tem grande relação com a maior formação de gases, mas é preciso considerar um problema mais sério

Os gases são um acúmulo de ar no sistema digestivo. Em geral, são liberados pelo ânus e não representam graves problemas de saúde.
No entanto, quando aparecem com frequência, podem causar grande desconforto, comprometendo a qualidade de vida.
A alimentação é uma das grandes responsáveis pela formação de gases, especialmente quando há consumo de itens fermentativos como feijão, repolho, brócolis, couve-flor, uva e ameixa secas, maçã, lentilha, cebola.
Isso acontece porque esses alimentos demoram mais tempo para serem digeridos, o que favorece a formação dos gases.
O mesmo vale para aqueles que têm a absorção mais demorada, como é o caso das carnes e outros alimentos ricos em proteínas como ovo e queijos.
Nesse caso, quanto mais tempo passam no intestino, maior a atividade das bactérias que ali habitam e próprio metabolismo dessas bactérias se encarrega de produzir uma quantidade maior de gases.
Outros fatores que podem favorecer o aparecimento de gases são: mascar chiclete e/ou consumir bebidas gaseificadas regularmente, falar durante as refeições, comer rápido demais e fumar.
A melhor maneira de acabar com os gases, além de fazer a liberação pelo ânus, é evitar todas essas possíveis causas.
Ainda assim, existem algumas condições clínicas que também podem levar ao excesso de gases e que precisam ser avaliadas por um médico.
Exemplos: dieta pobre em carboidratos, prisão de ventre, intolerâncias e/ou alergias alimentares, síndrome do intestino irritável, uso de certos medicamentos e doenças do sistema digestivo.
Assim, procure atendimento médico quando sentir maior frequência de eliminação de gases, dor abdominal prolongada, dor no peito, náusea persistente, vômito, perda de peso sem motivo, presença de sangue nas fezes.
Em geral, o tratamento para acabar com os gases em si é bem simples e envolve desde mudança de hábitos e alimentação até uso de medicamentos específicos.
Ainda assim, é fundamental que as causas sejam investigadas por um médico, para que se elimine qualquer possibilidade mais séria.

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *