Faça a dieta ideal para a sua profissão - Blog Unicpharma
Artigo Tempo Resultado

Faça a dieta ideal para a sua profissão

Para muita gente, comer fora de casa deixou de ser uma prática reservada a ocasiões especiais e se tornou uma necessidade. No entanto, antes que esse hábito contribua para o aumento de seu peso, do colesterol ou de outros problemas de saúde, é bom ficar atento. O almoço no restaurante, o sanduíche na cafeteria ou a comida pedida pelo telefone não são desculpas para abandonar os cuidados com a alimentação , afirma a nutricionista, Karina Gallerani. Pelo contrário: fora de casa, o cuidado precisa ser dobrado.

A seguir, a especialista dá dicas para você se alimentar bem de acordo com a rotina da sua profissão. A escolha do melhor restaurante, os lanchinhos entre uma refeição e outra, além das marmitas rendem uma série de conselhos light. Aproveite e mantenha a dieta!

Quem passa o dia no escritório

Comer no escritório é uma necessidade diária de milhares de pessoas. Os motivos são muitos. Nem sempre o local de trabalho dispõe de refeitório, a hora de almoço é, muitas vezes, curta e comer num restaurante todos os dias pode estourar o orçamento.

De qualquer forma, uma regra precisa ser respeitada: hora do almoço foi feita para… Almoçar! Não é correto substituir a refeição por lanches. Fazer isso sempre até prejudica sua produtividade , afirma Karina. Quando o escritório tem microondas, fica ainda mais fácil se adaptar. Basta trazer a refeição de casa, já na quantidade certa, evitando o exagero e desperdícios.

Com a chegada do verão, podemos levar para o escritório alimentos mais leves e fazer uma refeição prática e saudável. Uma salada caprichada alimenta e dispensa os aparelhos para aquecer a refeição . Batata e outros legumes, atum em água, queijo fresco, frango desfiado ou peito de peru light formam uma receita simples e deliciosa. Pode-se ainda complementar com cenoura ralada, tomate, alface, rúcula, milho, azeitonas. Para sobremesa, uma fruta ou salada de frutas.

Os lanches e refeições feitas nos intervalos também merecem atenção, já que não devemos permanecer mais do que quatro horas sem se alimentar. Um iogurte com frutas, torradas, biscoitos integrais, sucos de caixinha, barra de cereais, ou até mesmo frutas secas são ótimas opções , afirma a nutricionista. Ela só lembra que é preciso dar atenção ao armazenamento, principalmente quando se tratar de alimentos refrigerados.

Para quem não abre mão de comer fora, prefira os restaurantes por quilo, que oferecem pratos variados. Dê preferência às preparações grelhadas, assadas e com pouco molho, menos calóricas. Para acompanhar as carnes, prefira legumes cozidos ou saladas. Na sobremesa, fique com uma fruta ou gelatina diet.

Quem viaja demais

Os viajantes de plantão enfrentam constantes desafios durante suas longas e intermináveis jornadas. A mudança na disponibilidade de alimentos de consumo habitual pode gerar alterações o peso e do próprio ritmo de trabalho , afirma Karina. Os lanches altamente energéticos e gordurosos são a maior ameaça de quem vive em trânsito. Lanchonetes ou fast foods são opções acessíveis e populares. Além disso, há os lanches servidos nos aviões e ônibus . Pular refeições é outro erro comum, que leva ao aumento de peso.

É importante investigar os hábitos alimentares do local para onde você vai, além de listar restaurantes e lanchonetes locais. Conhecer a composição das refeições também ajuda a evitar as mais calóricas. E vale a mesma regra: carnes magras, verduras, legumes, frutas e sucos naturais, devem fazer parte do seu prato. Tendo hábitos saudáveis, você pode se dar ao luxo de provar massas, sanduíches e hambúrgueres, desde que controle a quantidade , recomenda a nutricionista.

É importante fazer também um registro alimentar durante a viagem, apontando as falhas, problemas dos alimentos ou nutrientes. As informações coletadas podem servir para o planejamento de outras viagens.

Quem vive em reunião

Se você faz da hora do almoço mais oportunidade para fechar negócios precisa repensar seus hábitos alimentares e valorizar a hora do almoço. Comece evitando as receitas gordurosas e enchendo o prato com salada, para amenizar a fome. Maminha, alcatra e fraldinha são as carnes mais indicadas se você deseja um churrasco leve. Uma opção é o peixe temperado com sal e limão ou frango sem gordura e sem pele.

Para acompanhar massas, prefira molhos ao sugo, com manjericão ou legumes. Evite massas recheadas (lasanha, caneloni, rondeli) e aquelas com molho branco ou com manteiga. Na hora do prato principal, dê preferência às carnes brancas e magras, grelhadas ou assadas. Evite, sempre que possível, as frituras em geral, pratos à milanesa e à parmegiana. Evite o couvert, normalmente muito calórico.

Sanduíches frios costumam ser mais leves, opte pelos queijos brancos no lugar dos amarelos. Prefira os pães integrais e com baixo teor de gordura. Não repita a porção do sanduíche e inclua vegetais, como alface, rúcula, tomate e cenoura no seu lanche. Vale ressaltar que a substituição do almoço por estes alimentos deve ser eventual.

Em pizzarias, prefira opções menos calóricas como a pizza de rúcula com tomate seco, de atum, de ricota e a de tomate com mussarela de búfala. Hoje em dia, quase todas as pizzarias já oferecem opções light em seu cardápio.

Se não houver nada diet na sobremesa, isento de açúcar e com pouca gordura, passe direto. Se possível, mantenha frutas na geladeira do trabalho. Doces dietéticos podem ser utilizados com moderação. Evite refrigerantes. Utilize sucos poucos calóricos como a limonada, o suco de maracujá e de abacaxi com adoçante.

Quem tem o tempo contado

A rotina é ideal para cumprir o planejamento diário. No caso de um professor, por exemplo, a rotina não se resume apenas à realização de suas atividades. Ela inclui a organização dos horários, principalmente no que diz respeito à alimentação.

Como ninguém consegue mudar os hábitos alimentares da noite para o dia, todo esforço vale muito. Aproveitar o pequeno espaço entre uma aula e outra para fazer um lanche é ótimo , afirma Karina. Mas precisa ter cuidado para que esse intervalo não tire a fome e prejudique as refeições principais, num ciclo sem fim. Aproveite para comer uma fruta, tomar um iogurte ou saborear uma torrada com uma xícara de café com adoçante. Como as escolas possuem cozinha, fica mais fácil acondicionar os alimentos que precisam ser refrigerados. Refeições leves e práticas, trazidas de casa, são ideais para não virar refém da cantina (recheada de opções calóricas).

A combinação correta dos alimentos é outro fator importante, em especial para um bom rendimento no trabalho após o almoço. Se você quer evitar aquela sonolência pós-refeição, dispense refeições muito pesadas e gordurosas, como lasanhas e feijoada.

Resista à sobremesa. Se não puder evitar, opte por frutas. De preferência assadas ou cozidas. O mesmo vale para o cafezinho. Substitua-o por um chá digestivo e, se sentir necessidade do café (ou do doce), consuma-o pelo menos duas horas após a refeição. Assim, você diminui a irritabilidade, ansiedade, agitação, dor de cabeça e insônia. Além disso, o café interfere na absorção de alguns nutrientes, como o cálcio , afirma a nutricionista.

 

Voltar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *